Agosto Laranja: Mês de Conscientização da Esclerose Múltipla

August 14, 2018

 

Você já deve conhecer o Outubro Rosa, uma ação que há mais de 20 anos conscientiza a população sobre a importância do autoexame e a prevenção do câncer de mama. Mas você sabe o que representa o Agosto Laranja? Ele foi criado para ampliar o conhecimento sobre a Esclerose Múltipla (EM), a doença autoimune do Sistema Nervoso Central que mais acomete jovens e adultos no mundo inteiro.

 
O QUE É ESCLEROSE MÚLTIPLA?

De causa desconhecida e sem cura, a esclerose múltipla é uma doença autoimune que afeta o cérebro, nervos ópticos e o sistema nervoso central. Isso acontece porque o sistema imunológico do corpo confunde células saudáveis com intrusas, e as ataca, provocando lesões.

 

SINTOMAS

Pessoas com esclerose múltipla tendem a apresentar os primeiros indícios na faixa dos 20 a 40 anos. Nos estágios iniciais, pode ser de difícil diagnóstico, uma vez que os sintomas aparecem com intervalos e o paciente pode ficar meses ou anos sem qualquer sinal da doença.

Os sinais variam amplamente, dependendo da quantidade de danos e os nervos que são afetados, mas no geral, entre os principais sintomas estão a fadiga, problemas de visão (diplopia, neurite óptica, embaçamento), problemas motores (perda de força ou função, perda de equilíbrio) e alterações sensoriais (formigamentos, sensação de queimação).

 

FATORES DE RISCO

Vários fatores podem aumentar o risco de esclerose múltipla, incluindo:

Idade, etnia e gênero: a enfermidade atinge principalmente mulheres brancas e jovens, sendo raros os casos em adolescentes e em pessoas acima de 60 anos.

Histórico familiar: se um dos pais ou irmãos possui esclerose múltipla, a possibilidade de desenvolver a doença aumenta entre 1% a 3%

Outras doenças autoimunes: são mais propensos a desenvolver esclerose múltipla aqueles que possuem outra doença que afeta o sistema imune, como distúrbios da tireoide, diabetes tipo 1 ou doença inflamatória intestinal.

 

TRATAMENTO

Embora não tenha cura, o paciente conta com a possibilidade de tratamentos que amenizam os sintomas da EM. O tratamento geralmente se concentra em controlar as crises e os sintomas, e também em reduzir a progressão da doença. Hoje, no Brasil, já existem diversas opções de tratamento, através de cápsula oral diária ou injeções diárias, semanais e mensais.

 
FIQUE ATENTO

O diagnóstico pode demorar, pois seus sintomas são parecidos com diversas outras doenças inflamatórias, por isso, ao notar surtos e qualquer sinal de alerta, busque orientações médicas para que, caso seja confirmado, o tratamento possa ser iniciado o quanto antes.

 

Publicado em Hospital São Marcos, 14/08/2018.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags