A Conversão de Bandeira vale a pena?

July 3, 2018

 

A Conversão de Bandeira é a migração de empresas já consolidadas em franquias, adaptando seu modelo de negócio ao da franqueadora. Muito comum em empresas de segmentos mais simples, como varejo e serviços, esta ação traz diversos benefícios ao empresário, como:

 

  • Ter um nome conhecido no mercado: por mais que a empresa atual já tenha um nome reconhecido na cidade em que atua, as franquias, em maioria, possuem uma visibilidade muito maior, além da credibilidade e confiança por parte do consumidor, visto que já conhecem a marca.

 

  • Disponibilizar nova gama de produtos e/ou serviços: marcas franqueadas possuem produtos e serviços específicos que, agora, serão disponibilizados  ao empresário em seu novo negócio, podendo oferecer aos consumidores a qualidade e exclusividade de produtos conhecidos no mercado, assim como suas novidades.

 

  • Maior poder de negociação: ao contrário de uma empresa comum, onde a negociação com o fornecedor pode não ter tanta abertura, em uma franquia isto pode render muito mais, já que estão tratando com uma marca com alta demanda, além da possibilidade de barganhar em conjunto com outras franquias da rede.

 

  • Previsão de crescimento: em determinado momento do negócio, muitas vezes não há mais para onde crescer. Com a migração para uma franquia, os ares são renovados, tanto ao empresário quanto ao consumidor. Além disso, com o apoio e know-how da franqueadora, a previsão de crescimento de negócio pode ser muito maior que um negócio tradicional.

 

  • Valor de aquisição menor do que a compra de franquias comum: diferentemente da compra de franquias, onde o empresário deve começar do zero, na conversão de bandeiras o empreendedor já possui o ponto, equipe e, muitas vezes, matéria-prima. Com isso, o valor da aquisição pode ser de até 80% menor em comparação ao processo de compra comum de uma franquia.

 

Em que situações é indicado a Conversão de Bandeira?

Há três situações principais em que a conversão de bandeira é indicada. Na primeira, o empresário vê o seu negócio declinar cada vez mais e precisa, de algum modo, recuperá-lo; no segundo caso, o negócio já atingiu o seu ápice e o empresário quer expandir o seu faturamento apostando numa marca já conhecida no mercado; ou ainda, o empresário pode estar em busca de um negócio mais consistente e que lhe traga insumos para alavancar seu faturamento, como o apoio de uma franqueadora.

 

Em qualquer um destes casos, o processo de conversão traz benefícios atrás de benefícios, com todo o apoio do franqueador para que o processo seja feito do melhor modo possível. Após a integração finalizada, o empresário do novo negócio passa a contar com ações de marketing promovidos pela marca e maiores chances de ter um preço competitivo no mercado, oferecendo o melhor custo x benefício ao consumidor. As chances de isso acontecer em uma empresa do modelo tradicional seriam pequenas ou até mesmo nulas.

 

As vantagens neste tipo de negócio são para ambos lados. Enquanto a franqueadora aposta em um empresário com experiência e influência em seu segmento, garantindo a expansão mais rápida dos negócios, o franqueado aproveita todos os benefícios da franqueadora, como visitas e treinamentos, vendo seu negócio ficar cada vez mais profissional e consistente.

 

Quais os riscos?

Como todo tipo de investimento, neste também há riscos, porém alguns podem ser controlados - outros não.

 

Os riscos externos são aqueles que o empreendedor não tem controle, como entrada de novo concorrente no mercado, crise econômica ou até mesmo a cultura local, que podem influenciar para que o novo empreendimento seja ou não aceito. Para isso, reforça-se a necessidade de parceria com a franqueadora na análise da cultura e público daquele local, prevendo possíveis problemas e antecipando-se para que sejam amenizados.

 

Já os riscos controláveis estão ligados, principalmente, a personalidade e comprometimento do empresário em atender as exigências da franqueadora, já que agora quem ditará as regras do negócio serão outras pessoas. Antes de começar o processo de conversão de bandeira, é preciso ter a consciência de que todas as informações confidenciais da empresa, como faturamento, fluxo de caixa, resultados, problemas e demais operações, agora serão abertas para a franqueadora, que irá auxiliar e verificar se estão de acordo com as expectativas ou não, a partir de visitas de seus consultores. Além disso, as tomadas de decisões deixam de ser apenas do dono da empresa e passam a ser controladas também pela franqueadora, já que é preciso seguir um padrão em toda a rede.

 

Caso o empresário sinta-se desconfortável em compartilhar estas informações e decisões com a franqueadora, o negócio sofre um sério risco de não ir para frente, então todas as expectativas devem estar alinhadas com a realidade.

 

Para fazer esta conversão de empresa tradicional para franquia, há duas maneiras. A menos comum é o empresário entrar em contato com a franqueadora de interesse e apresentar uma proposta. Já a mais utilizada, é o caminho inverso, onde a franqueadora mapeia as empresas que têm interesse em adquirir, de acordo com o seu crescimento e influência de mercado, e realiza a proposta.


 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags